Em sessão solene academia de letras realiza premiação de vencedores do concurso Canoinhas em Verso e Prosa

Quando os alunos das diversas redes de ensino que atuam no município foram convidados para a sessão solene da Academia de Letras do Brasil, seccional Canoinhas, talvez não imaginavam que além de poder receber um certificado e um prêmio por serem autores das melhores poesias e prosas inscritas em um concurso, receberiam um prêmio ainda maior, com valor incalculável: o conhecimento. Marcada por pronunciamentos que resgataram a história de Canoinhas, enalteceram peças literárias e provocaram emoção, a sessão solene reuniu autoridades locais, profissionais de ensino, alunos e pessoas da comunidade, que foram conferir as homenagens ao município e a premiação dos estudantes participantes do concurso Canoinhas em Verso e Prosa.

À frente do plenário da Câmara de Vereadores, onde foi realizada a sessão, cidadãos canoinhenses que muito contribuem para a cultura local ocupavam lugar de destaque e chamavam a atenção por seus pelerines verdes com detalhes dourados. Eram os imortais, como são chamados os membros da Academia de Letras, que há mais de um ano reúnem-se para discutir obras literárias, planejar e desenvolver ações que valorizem as diversas formas de arte, em especial a que têm a língua portuguesa como matéria prima. A seccional de Canoinhas conta com 16 integrantes, que têm como patrono pessoas significativas para a sociedade regional.

“Vamos levar nesta noite um banho de cultura”, disse o presidente da academia de letras, seccional Canoinhas, Pedro Penteado do Prado, ao declarar aberta a sessão solene. O presidente enalteceu ainda a qualidade das peças inscritas no concurso. “Os trabalhos realmente nos surpreenderam”, comentou. Membro da academia, Rosane Godoi, apresentou a oração acadêmica que destacou características de seus confrades e da literatura. Antes disso, a acadêmica Adair Dittrich acendeu as três velas que deram mais luz ao evento.

Outro imortal também participava da sessão, o historiador e professor Fernando Tokarski, membro da Academia de Letras Vale do Iguaçú (Alvi).  “A história dos outros é importante, mas nossa história é ainda maior; se a nossa história não tem valor, a dos outros também possui pouca importância. Acredito que foi sob esta ótica que o advogado, político, funcionário público e pesquisador Orty de Magalhães Machado construiu a sua própria história, traçando as bases da historiografia de Canoinhas”, disse Tokarski ao iniciar seu elogio solene a Orty Machado,  que publicou muitos artigos, especialmente sobre a Guerra do Contestado. Em seu panegírico, Tokarski relatou ainda que foi pelas mãos de Orty Machado que a cidade do Rio de Janeiro ganhou uma praça com o nome Canoinhas. “Foi por iniciativa dele que Canoinhas tem um singelo monumento denominado Marco Zero, no bairro Campo do Água Verde, na intercessão das ruas Guilherme Prust e Paulo Wiese com a avenida dos Expedicionários”, disse o historiador.

A premiação dos três primeiros colocados em cada categoria do concurso Canoinhas em Verso e Prosa, aconteceu logo após o pronunciamento de Tokarski. No ato foram entregues certificados aos alunos e representantes de escolas classificados do primeiro ao terceiro lugar em cada uma das quatro categorias. Os alunos que obtiveram a primeira colocação também receberam das mãos de José Sawinski Junior, prêmios doados por empresas da região.

A maciça participação das escolas da rede municipal de ensino no concurso, somada à dedicação de professores e alunos foram responsáveis pela conquista de nove prêmios em diferentes posições. Na categoria “Prosa”, para alunos de 11 a 14 anos, Milena Kutacz Ferreira Chagas, estudante da EEB João José de Souza Cabral, obteve a primeira colocação; seguida de Jucinéia Aparecida Kostulski, aluna da EBM Evaldo Dranka, de Barra Mansa; Também estudante da rede municipal de ensino, mas da EBM Benedito Therézio de Carvalho, de Felipe Schimidt, Talita Carine Abilski conquistou a terceira colocação nesta categoria.

O pódio da categoria “Poesia”, disputada por alunos de 11 a 14 anos, foi formado somente por estudantes da rede municipal de ensino.  O primeiro lugar ficou com Isadora Aparecida Schu, da EBM Maria Lovatel Pires; Na segunda colocação houve empate entre as alunas Vanessa Zientara, da EBM Maria Isabel de Lima Cubas, da localidade rural de Rio da Areia do Meio e Érica Schiessl de Souza, da EBM Severo de Andrade.

O aluno da EBM Almirante Barroso, Brayan Henrique da Silveira, conquistou a primeira colocação na categoria “Prosa”, disputada por alunos de 15 a 18 anos. A estudante Tânia Mara dos Santos, da EBM Guilhermina Veiga Ferreira, de Arroios, ficou com o segundo lugar, seguida de Ketlin Cristina Rodrigues, da EBM Maria Lovatel Pires.

Na mesa de autoridades, José João Klempouz deixou de lado o título de ex prefeito de Canoinhas para assumir o de avô que, orgulhoso, aplaudia a neta Juliana Aparecida Klempouz, da EBM Tempo Feliz, vencedora da categoria “Poesia”, que contemplou alunos de 15 a 18 anos. Aluno da rede pública municipal, Everton Luis da Silveira, da EBM José Grosskopf, ficou com o segundo lugar na categoria, que premiou ainda Emily da Silva Gassner, da EBM Almirante Barroso.

A coordenadora de projetos da Secretaria Municipal de Educação, Franciane Novak, representou no evento o secretário Hamilton Wendt, que enviou mensagem parabenizando os alunos pela participação e a academia pela organização do concurso. “Precisamos sempre estar engajados em iniciativas como essa, que é um exemplo e um incentivo aos nossos alunos”, disse o secretário em nota lida por Franciane. A sessão solene contou ainda com a participação da banda musical Novos Talentos, mantida pela Fundação Cultural Helmy Wendt Mayer.