Reunião avalia trabalhos realizados na enchente de junho

Na manhã desta quinta-feira, 14, foi realizada na prefeitura de Canoinhas, uma reunião com toda a Comissão do Conselho Municipal da Defesa Civil (Comdec), e teve como objetivo fazer uma avaliação sobre todos os trabalhos realizados durante a enchente que assolou o município, na primeira quinzena do mês de junho deste ano.

Além do coordenador municipal da Defesa Civil, Nelson dos Reis, e do prefeito de Canoinhas, Beto Faria, ainda estiveram presentes representantes do Corpo de Bombeiros, Casan, Cidasc, imprensa, secretarias municipais e demais membros da Defesa Civil. No encontro foi realizado um resumo geral sobre os estragos causados no perímetro urbano e rural de Canoinhas durante as enchentes, os representantes relataram os problemas e como eles foram ou ainda estão sendo solucionados.

O prefeito de Canoinhas, Beto Faria, lembrou que durante o evento todos trabalharam arduamente com a finalidade de que as coisas pudessem voltar a normalidade o mais breve possível, ressaltando a união de inúmeros segmentos como a comunidade, poderes públicos, entidades e voluntários. Faria ainda comentou que a reunião teve como objetivo, além de avaliar os trabalhos realizados, o de analisar possíveis deficiências que devem ser corrigidas para auxiliar em futuros eventos.

O tenente-coronel, Altair Lacovicz, comandante do 9º Batalhão de Bombeiros Militar, fez um breve relato sobre os procedimentos adotados pelos bombeiros durante a enchente.  Lacovicz ressaltou a importância da união de vários segmentos, e lembrou da Operação que foi montada.

Nelson do Reis, coordenador municipal da Defesa Civil, destacou que vários trabalhos já foram realizados em parceria com algumas secretarias, um exemplo são as obras de recuperação de malha viária, sendo uma união entre a Defesa Civil, municipal e estadual, e a secretaria de Obras do município.

Ficou definido na reunião que em breve deverá acontecer uma capacitação sobre a Organização de Operações Especiais para as pessoas e entidades que trabalharam durante as enchentes, com o objetivo de dar uma resposta ainda mais rápida a população, além de constituir uma central de crise com a montagem de um ‘Plano de Ações Articuladas’ para a Defesa Civil municipal.